quarta-feira, 21 de abril de 2010

Padre Cícero: a diferença do mito para o homem.

Representante maior do cristianismo no Nordeste, Padre Cícero Romão Batista, foi uma figura polêmica em vida, e continua sendo assim após sua morte. Os que crêem nele, divinisam-no, vêem no padre uma pessoa boa, amiga dos pobres e que só fez o bem em vida. Já seus opositores o colocam como mais um coronel (político), algo ainda (infelizmente) comum no Nordeste, alguém que coloca seus interesses e dos seus poderosos representantes como prioridade.

Ambos erram, porque não sabem analisar qual é o Padre Cícero que cada grupo vê. Os fiéis reverenciam o mito, já os descrentes a pessoa.

Falando primeiro sobre os fiéis, em sua maioria nordestinos, criaram o mito, o santo, porque era necessário, assim como a maioria das culturas precisam de seus herois a cultura nordestina não era diferente. Se Zumbi, por ser negro, não poderia, os líderes das revoluções populares, como Frei Caneca, Cosme Bento, Francisco Sabino, etc, ou mesmo Lampião, foram transformados em bandidos por quem possuía o poder, restou ao povo do Nordeste, encontrar um símbolo bem visto pela oligarquia, e aí, o Padre Cícero se tornou a escolha mais condizente. Visto a importância do catolicismo para o Brasil (maior país católico do mundo), Ele (mito) representou, e muito bem, o clamor desse povo sofrido, que precisava de um igual, para se sentir "gente", para lhes falar diretamente. Então ele, como símbolo, foi algo totalmente positivo, que trouxe esperança para a população.

Agora vendo o lado dos que lhe criticam, também estão corretos, o Padre Cícero (pessoa) sem levar em consideração se fez milagres, foi um coronel, com, evidentemente mais desapego as suas posses do que a maioria deles. Foi político, se utilizando do seu prestígio como padre, do PRC (Partido Republicano Conservador) partido representante do que havia de pior na República café com leite, se é que existia algo de bom, foi sempre fiel (mesmo após a excomunhão) a uma igreja católica retrograda, se mostrou preconceituoso (algo comum no início do século XX) como fica provado em um depoimento de uma mulher que conviveu com o Padre no filme, Milagre em Juazeiro (de 1999) e combateu a coluna prestes. E não me venham dizer que seu bom convívio com Lampião foi algo negativo, muito pelo contrário. Mas enfim, não podemos dizer que foi uma santa pessoa (como seu conterrâneo DOM HELDER CÂMARA).

Então, assim como várias figuras históricas, que se diferenciam entre mito e realidade, o Padim Ciço (como também é conhecido) tem que ser analisado como dois, bem diferentes por sinal, mas que, não deixam (isso, no plural) de ter sua importância para a história brasileira.


"Sou devoto de Padre Ciço Romão Sou tiete do nosso Rei do Cangaço E meu regaço cuminado em pensamento Em meu rebento sedento eu quero chegar".

Trecho da música, Caboclo Sonhador, composição de Flávio José.

5 comentários:

  1. DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA



    "As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
    têm direito inalienável à Verdade, Memória,
    História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado



    O MASSACRE DELETADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


    No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi a CHACINA praticada pelo Exército e Polícia Militar em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato "JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA", paraibano negro de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.



    O CRIME DE LESA HUMANIDADE


    O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.


    A AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROPOSTA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


    Como o crime praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é IMPRESCRITÍVEL conforme legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



    A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


    A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.



    RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


    A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;



    A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


    A SOS DIREITOS HUMANOS, como os familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.


    QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


    A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do "GEOPARK ARARIPE" mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



    A COMISSÃO DA VERDADE


    A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e pede que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.


    Paz e Solidariedade,



    Dr. Otoniel Ajala Dourado
    OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
    Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
    Editor-Chefe da Revista SOS DIREITOS HUMANOS
    Membro da CDAA da OAB/CE
    www.sosdireitoshumanos.org.br
    sosdireitoshumanos@ig.com.br
    http://twitter.com/REVISTASOSDH

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Rapaz, eu tenho que discordar de vc.
    axo que sua "teoria" está muito errada;

    Até pq, a religião e a fé é algo muito maior que essa asneira que vc fala.

    não posso pedir para vc mudar a sua opinião ou coisa que o valha, mas, realmente, não fica escrevendo essas coisas não. É feio e pega mal.

    ps: acho bastante hipocrita o camarada acima. Realmente, o povo brasileiro é muito interessante de se ver; reclamam de supostos "genocidios" acontecido por parte dos militares (ridiculo) e ao mesmo tempo, vota numa candidata a presidente que era uma terrorista; terrorista essa que além de matar pessoas inocentes, ainda roubou bancos e esquematizou o crime organizado no brasil. é de dar pena!


    AbraçoSS.

    ResponderExcluir
  4. Fábio R. J. da costa

    Erros de concordância e escrever ACHO com X, É feio e pega mal.

    Mas obrigado pela visita, pena que você não argumentou mais. E sobre seu único argumento: E se a religião e a fé for a asneira???

    E por fim, em que momento (no post) eu critíco religião ou toco de forma aprofundada nesse assunto, se você reparar bem, o post é de uma temática social, não religiosa.


    SOS DIREITOS HUMANOS

    Desculpa a demorra (PQP tenho que escrever mais), mensagem divulgada.

    ResponderExcluir
  5. Realmente...

    para quem preza tanto por escrever certo...

    "demorra"


    abraços

    ResponderExcluir

É o verbo...